Fitness

Just do it!

01.19.17
Coucou!
20170116_200647(0)
Basta um pequeno passo para uma grande transformação.

Sempre achei que as palavras por vezes podem não ser suficientes. Que por vezes o melhor é por em prática as nossas reflexões, dar vida aos nossos pensamentos mais profundos. Por isso mesmo é que tomei uma decisão, não por ser ano novo, mas porque precisava de um pequeno passo que me permitisse uma grande transformação, a vários níveis.

Já se devem estar a perguntar do que é que estou para aqui a falar, mas não é nenhum segredo, nem nada de mágico. Estou a falar de uma decisão que tem vindo a mudar o meu dia a dia, a decisão de me tornar mais saudável, tanto a nível mental, quanto físico. Decidi compartilhar com vocês esta minha jornada fitness, e o gosto que sinto ao ir ao ginásio. Quero vos motivar, inspirar, e viver uma troca de experiências, não a mostrar ilusões, mas a partilhar palavras reais.

Confesso que no inicio comecei pela imagem. Acho que em algum momento das nossas vidas, a nossa mente fica poluída com todas fotografias de “corpos perfeitos” que nos perseguem por todo o lado. Infelizmente muitas dessas fotografias são “ilusões” que nos fazem questionar a nossa imagem física, e desta forma, perturbar a nossa auto estima. Acho que o mais importante é manter em mente que todos nós somos diferentes, temos corpos e mentalidades diferentes, e que isso é o que nos torna interessantes. Com o tempo percebi que o meu corpo não é um objeto, que o meu corpo é apenas um recipiente que me permite viver a vida plenamente, e que como tal, não precisa de ser perfeito. O essencial é termos a vontade de nos tornarmos na melhor versão de nós mesmos. Inspirarmo-nos em nós mesmos e dar um passo em frente para melhorarmos o nosso “eu” em todos os aspectos possíveis. Em vez de passarmos horas a nos iludir e a pensar como poderia ser tão bom se fossemos “x” ou “y” ou se fossemos mais parecidos com “a”, “b”, ou “c”.

Comecei a treinar em 2014, porque iludida com imagens perfeitas, queria ficar igual a “a” e “b”. Olhando agora para imagens antigas, apercebo-me do quão magra eu era, e quando digo magra, estou a falar de alguém magríssima. Tenho 1.72cm e não me lembro de quanto estava a pesar nessa altura, mas posso dizer-vos que o meu braço era tão fino como o meu pulso. Apercebo-me agora, que nessa altura, quando me olhava no espelho não me dava conta do quão magra estava, e que delirava por querer ter abdominais aparentes, pensando que para isso precisava de ficar ainda mais magra era “tonificar” o corpo. Claro que quando começamos uma jornada fitness (e talvez seja o caso de outros desportos também), não temos nem maturidade nem experiência suficiente na área para não cometermos erros. O que é completamente natural, e erros deixem que vos diga que cometi muitos.

20170116_200941 20170116_201038 Costumava treinar pernas 3x por semana, fazer cursos coletivos 3x por semana (por vezes fazia uma hora de body pump e uma hora de zumba logo a seguir), e não levava a sério nem a dieta nem a musculação. Estava habituada ao “se o peso não me faz chorar então está ótimo”. Não variava os meus treinos, e sendo assim, não saía da minha zona de conforto. Também não tinha um compromisso sério com o ginásio, ou seja, treinava quando me apetecia e se me apetecesse. Após este ciclo de mais de um ano e meio de poucos altos e muitos baixos, as coisas começaram a mudar pouco a pouco.

A ideia de um corpo perfeito continuava a falar-me aos ouvidos, e a dieta não correspondia às minhas necessidades, mas comecei a gostar cada vez mais e mais de ir treinar. Comecei a levar o ginásio um pouco mais a sério mas existia sempre um problema. O problema de não ter confiança suficiente em mim, o problema de querer ver os resultados “já” e mudar de programa a cada vez que não via resultados, ou seja entrei num ciclo vicioso de nunca acreditar em mim, e de pensar que nunca seria capaz, de nunca dar uma oportunidade a mim mesma e de estar sempre a trocar a minha rotina porque não via diferenças.

Contudo, já no ano passado antes de ir para Maiorca consegui me focar nos meus objetivos, e os resultados começaram a aparecer lentamente. Ganhei mais massa muscular, e o número na balança aumentou. Consegui fazer uma dieta durante dois meses sem comer porcarias, treinava 5 vezes por semana e no sexto dia fazia um HIIT. Fiquei mais tonificada e estava a gostar deste meu “novo eu”. No entanto, durante as férias sucumbi aos meus desejos e só comi porcarias o dia inteiro. Ia treinar e andava imenso, mas só comia hamburgers, pizzas, batata frita e todas essas coisas não tão saudáveis que sabem tão bem. Não vou dizer que me arrependi, porque foram umas férias maravilhosas e aproveitei cada momento. Mas quando voltei à minha rotina normal e vi os quilinhos a mais na balança, confesso que fiquei decepcionada.

Voltei a treinar mas a minha dieta tornou-se um desastre, principalmente nos dias de natal e ano novo, onde comi que nem uma maluquinha e fiquei sem treinar uma semana. E foi aí que decidi que precisava de uma mudança e que ia fazê-lo após uma semana de descanso, E foi exatamente o que fiz. Percebi que o que eu realmente quero não são abdominais ou um rabo perfeito, o que eu realmente quero é sair da minha zona de conforto, perceber quais os meus limites e dar o melhor de mim, todos os dias. O que mais gosto sobre ir ao ginásio é o facto de ser um anti stress tão natural e eficaz. É o facto de me dar força, de me fazer esquecer os problemas do dia a dia, e de me motivar a ficar focada para atingir todos os meus objetivos, me tornando a minha melhor versão, sendo um deles.

O mais importante é tomar a decisão, e o resto logo vem. Apercebi-me que o nosso pior inimigo é a nossa mente, e não o nosso corpo. Basta tomar uma decisão e mantê-la firme e forte na nossa mente, que tudo pode acontecer. Sendo o nosso pior inimigo, a nossa mente também pode ser o oposto, o nosso melhor amigo, e é nisso que nos temos tornado nestas últimas semanas. Tenho me forçado a acreditar em mim mesma, a ter a confiança de seguir em frente, mesmo que a passos minúsculos, e caminhar até as minhas metas. Não quero ser igual a ninguém, nem quero ser perfeita. Só quero evoluir, tanto fisica como psicologicamente e acho que o desporto é uma ótima maneira de o fazer. Hoje quiz partilhar esta história com vocês, de maneira geral, e vou continuar a fazê-lo de forma mais aprofundada.

20170116_200540 20170116_200549 Hoje estou a pesar 61kg e sinto-me ótima. O mais importante não são os números na balança e sim a maneira como nos sentimos na nossa pele. Muitas vezes quando digo que não posso (porque não quero e não porque estou a fazer uma dieta louca como muita gente pensa) comer isto ou aquilo as pessoas olham-me de lado e pensam que sou estúpida. Ainda não percebo o porquê de querer comer de forma saudável pode ser considerado estúpido? O meu objetivo não é perder peso e sim ganhar peso, o meu objetivo não é ser um bodybuilder e sim ter um corpo que me satisfaça, e por isso mesmo é que não podemos deixar os julgamentos dos outros nos influenciar percebem? Porque só nós sabemos quais são as nossas metas, e o quão dispostos estamos a sacrificar para alcançá-las.

Não deixem que alguém vos diga: “estás muito magras/gorda”, “estás muito musculosa, pareces um homem!”, “porque é que treinas? nem se vê músculo nenhum”, “estás de dieta? Mas come isto é só hoje”, “vais comer isso tudo?”, e blábláblá. Também não se deixem influenciar por fotos de corpos perfeitos, não se esqueçam que só mostramos o melhor de nós, e que muitas vezes essa não é a realidade. Não deixem que as pessoas à vossa volta ditem as regras da vossa vida. Sejam vocês mesmos a fazê-lo, sejam diferentes, pensem de forma diferente, tenham a coragem de enfrentar as criticas e continuem a caminhar em direção aos vossos sonhos.

Quem disse que uma mulher não pode ter músculos? Quem disse que uma pessoa com quilhinhos a mais não pode ter um corpo bonito? Quem disse que uma pessoa magra é só ossos? Ah, foi o vizinho do lado, o senhor da televisão, a minha tia, o primo do meu amigo etc etc. Pensem naquilo que vocês acham, nos vossos valores e não se deixem manipular pela opinião pública, sejam vocês mesmos, independentemente do que “a” ou “b” acha, porque a vida é curta de mais, para ser vivida baseada no outro e não em nós próprios. Mantenham isso em mente!

Para semana vou fazer um post sobre uma aplicação que me tem dado muita força, e motivação nesta minha jornada, e espero que essa aplicação também vos possa inspirar. É uma aplicação sobre fitness, por isso se isso vos interessa fiquem atentos. Vou falar-vos do que tenho vindo a fazer à já três semanas, que me tem dado uma disposição enorme e mal posso esperar por acabar este “desafio” e ver o quão longe cheguei.

Escrevi este texto, porque só quero que se lembrem que não somos perfeitos e nem devemos procurar sê-lo. O mais importante é darmos o melhor de nós, todos os dias, e quando olhamos para trás pensarmos o quão longe chegamos, e que não chegamos tão longe para ficar por aqui. Apesar de ter viajado demais nas palavras, a mensagem que quero passar é que devemos perseguir as nossas metas, e que por vezes é necessario tomar decisões e vencer obstaculos que nem sempre são fáceis, mas nao podemos deixar que isso nos afecte, nem podemos deixar que ninguem tome as decisões no nosso lugar. Falei sobre fitness, sobre alguns comentarios que costumo encarar de frente, mas esta mensagem serve para tudo, e para todos voces. E para todos nós que por vezes temos medo de confrontar certas coisas na vida, e que deixamos certas metas, objectivos ou mesmo sonhos de lado. Mas acredito que sonhos são demasiado preciosos para serem esquecidos. acredito que uma pequena decisão pode despertar capacidades incriveis, dentro de nós escondidas.

E vocês? Partilham algum desporto ou gostariam de o fazer? Têm uma alimentação saudável ou não ligam muito a isso? Fiquem atentos porque o próximo post sobre fitness vai ser bastante interessante. Há algo que querem mas nao têm coragem de fazer? Beijinhos e obrigada pela visita.

Share

19 comments on “Just do it!”

  1. Go girl! Eu tive uma rotina assim, certinha, durante 3 anos. Agora perdi completamente o ritmo, mas qualquer dia volto a dar esse passo 🙂
    Ps: já pensaste em ser modelo?

  2. Que bom Sara, que encontrou o que te satisfaz. Também concordo que ficar a mercê do que outros pensam e ditam só nos torna pessoas infelizes. Espero que você continue com toda essa vontade! Não sou muito adepta em ir a academias, prefiro exercícios ao ar livre. Mas isso vai de cada um, certo?! Torso por você 🙂

    rasgadojeans.blogspot.com

  3. I have been putting off going to gym the longest time. I keep telling myself I’ll go tomorrow. I can’t go out when its so could 😐 I don’t know how I got anything done when I lived in Estonia. Its get way colder there then in Belgium x

    Laura
    Pink Frenzy

  4. Tens que me dizer que app é essa! Neste inverno desleixei-me imenso, faço algum exercício por casa mas é coisa pouca. Felizmente já há coisa de um ano que tenho uma alimentação mais saudável e nesse aspeto sinto-me bastante bem. Claro que também como porcarias, mas há que saber controlar. Fico contente por te sentires bem, é isso que realmente importa! Um dia destes também me junto ao ginásio, quem sabe. Por enquanto vou fazendo por casa 😀
    Beijinhos querida

  5. Gostei de ler o teu texto! Infelizmente ainda tenho algumas inseguranças, mas aprendo a viver com elas lentamente. Eu por acaso tenho o mesmo peso há anos! E costumava treinar e fazer exercício antes de entrar na faculdade, agora já não faço nada. Quero muito recuperar esse hábito! 🙂

    http://free-colors.blogspot.pt

  6. Concordo a 100% contigo quando dizes que não devemos usar “a” ou “b” como inspiração quando estamos a trabalhar para o corpo “perfeito”. Cada pessoa é um caso diferente e os corpos reagem de forma diferente ao exercício. Há cerca de 3/4 anos, pesava 82kg e era extremamente insegura comigo mesma. Um dia meti na cabeça que queria perder peso e assim foi. Perdi cerca de 20kg em 3 meses e recuperei a minha auto-estima. Depois disso mantive uma rotina de exercício bastante regular até que entrei na universidade e estraguei tudo. Desde essa altura, ganhei cerca de 3-4kg, mas como parei de fazer exercício o meu corpo mudou imenso. Tal como tu, vejo este novo ano como uma nova oportunidade para voltar ao exercício, mas confesso que não está a ser fácil!
    Respondendo ao teu comentário, concordo contigo! Mais importante do que manter um feed bonito é manter um feed que transmita quem realmente somos. E acho que o meu o faz na perfeição 🙂

  7. Adorei ler a tua história! Eu durante anos que sofri de flutuações no meu peso e nunca realmente gostei do meu corpo, porque sim queria ser como a “a” ou “b”, mas o ano passado tudo mudou. Foi mesmo necessário lutar contra a minha própria mente e dedicar me a série, porque os resultados não se vêem após uma semana, mas sim após um, dois ou até 3 meses! É preciso querer mudar, e para mim não foi só o exercício físico mas sim a minha alimentação e o meu estilo de vida, que hoje está muito diferente, são pequenos passos que levam a grandes mudanças! Desde as férias que ando num “pausa” mas apenas no exercício, pois o Inverno é horrível , mas vou retomar assim que a Primavera aproximar!

    Muita sorte! e beijinhos!

  8. Eu e o ginásio temos uma relação de amor/ódio.
    Adoro ir ao ginásio, sabe-me bem quando vou, mas o ir… custa-me horrores!
    No final do ano passado, e com uma avaliação desastrosa, comprometi-me a ir 3 vezes por semana (2 treinos + 1 aula) . Só tenho feito 2 vezes… :C
    É um bom tema para falar no meu blog.

    beijinhos e bons treinos (não percas esta motivação!) #invejadaboa

    http://www.oblogdadondoca.com

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *