LooKbook

Desvaneios desnecessários

03.13.17
COUCOU!

E que tal me deixares dormir?

Cérebro para que te quero? Sabem aquelas fases em que tudo parece nos transtornar, distrair, e até mesmo afectar? Ando numa dessas fases, que parece tardar a passar. Por vezes pergunto-me se vale a pena me stressar por tão pouco, se vale a pena perder tempo, com coisas, com pessoas que não merecem. Acho triste, acho desnecessário deixar-mos o stress, a rotina do dia a dia nos abalar ao ponto de já nem termos tempo para nós mesmos, para aqueles que amamos, para as coisas que nos dão prazer em fazer.

Não quero trazer-vos um post demorado, muito menos deprimente, mas ultimamente tenho dado por mim a pensar demasiado em tudo, Quando digo tudo é mesmo tudo, tudo aquilo que me rodeia, tudo aquilo que me acontece no dia a dia. Sempre fui ansiosa, não vou mentir, mas ultimamente o meu lado demasiado atento e pensativo tem vindo a piorar, ao ponto de não conseguir adormecer por pensar demasiado. Pergunto-me por vezes, de que me serve gastar o meu tempo, visto que tenho apensas uma vida, com coisas que nem gosto? Pergunto-me se não podíamos ter uma sociedade diferente, que nos aceitasse como somos, que nos desse um cantinho nosso, que pudéssemos escolher aquilo que queremos fazer, aquilo que queremos ser. Dou por mim a acabar o quarto ano de um curso que comecei por achar que fosse uma coisa, mas que acabei por descobrir ser outra.

Tenho perdido imenso tempo com projetos, tenho pensado imenso nos exames que se avizinham, nas noites tenebrosas que se aproximam. Pergunto-me o que há de errado com todos nós? Porque é que nos sentimos obrigados a fazer aquilo que não queremos? Acho que começo a vagar rumo a uma crise de identidade, acho que nos acontece alguma vez, ou até mesmo algumas vezes na vida, e acho que não devemos ter medo de assumir, não devemos sentir pena, nem vergonha.

Dou por mim a caminhar rumo a um futuro incerto, pergunto-me como será, uma vez que  curso acabar. “Será que é isto que quero fazer”? “Será que vou arranjar trabalho na minha área”? São perguntas sinistras, perguntas cruéis, às quais não consigo ainda responder. Não quero dramatizar demasiado a história, e sinto que estou para aqui a me lamuriar de preocupações, mas pergunto-me se não sentem o mesmo? Pergunto-me o quão triste deve ser, passar o resto das nossas vidas a exercer uma profissão que apenas nos dá dores de cabeça? Claro, aprendemos sempre alguma coisa, claro, conhecemos pessoas novas, e claro, ganhamos experiências de vida que não têm peço. Mas será que todo este esforço, todo este stress, toda esta falta de tempo, vale a pena? Pergunto-me o porquê de não podermos apenas ser livres, escolher, acreditar e concretizar.

O que será que nos leva a fazer algo que não gostamos para apenas tornarmos o nosso futuro certo, em vez de lutarmos por aquilo que amamos, mesmo que o nosso futuro, não seja tão certo assim? Eis a minha questão do dia, para todos vocês.

Hoje trago-vos um look ainda quentinho, de à duas semanas atrás, altura em que o tempo era incerto, infeliz e desconcertante. Apenas na sexta passada começaram os lindos dias, com sol e uma temperatura amena, pois antes disso, a chuva e o frio não deram tréguas. O tempo andou, digamos, fora de si, e numa semana providenciou-nos neve, chuva e sol.

Com as temperaturas baixas, decidi vestir algo quente e reconfortante, sem deixar a confortabilidade de lado. Vesti este colete da H&M que já vos tinha apresentado por aqui, e que é super quente e confortável. Conjuguei-o com esta camisola também da H&M, que até poderia ser usada como vestido, mas decidi usá-la com estas calças de couro falso também da H&M e que por sinal, já me estão apertadas nas pernas, portanto daqui a uns dias, vão ter que ser entregues a outra pessoa.

Quando falo de prático, refiro-me a mochilas. Adoro esta mochila que além de me permitir levar toda a tralha atrás, também é super bonita e combina com tudo. Combinei tudo com estes botins, que apesar de terem um saltinho, são muito confortáveis mesmo. No que toca a acessórios, estou a usar o relógio da Charlize watches.

Espero muito que tenham gostado. Obrigada pela visita e até à próxima! Beijinhos <3

11 comments on “Desvaneios desnecessários”

  1. Tendo a ser como tu, demasiado analisadora. Não é bom e passamos demasiado tempo a pensar e com ansiedade. Isso desgasta psicologicamente e mesmo fisicamente. Com o tempo apreendi que não posso nem quero agradar a toda e gente e digo mais “não”. Seja para o bem ou mal, vivo com as minhas escolhas . Sara , vive um dia de cada vez e o que tiver de ser será! Se te parece bem, faz, se não o queres não o faças. Relaxa e e se conseguires tenta meditar nem que seja 1 minuto por dia. Vai ajudar! Compreendo-te e sei o quanto o nosso cérebro pode ser maldoso mas tu é que comandas a tua vida. Afasta-te do negativismo mesmo para evitares depressões.
    Estás uma fofura toda quentinha. A mala é linda! beijinhos
    Coco and Jeans by Marisa x My Instagram x My Bloglovin

  2. Somos demasiado pressionados pela sociedade..temos que seguir estas tendencias, visitar estes locais, provar estas comidas, passar nestes exames, ter este tipo de amigos, etc etc etc..
    Por vezes, muitas vezes, esquecemo-nos de quem realmente somos, daquilo que nos move, daquilo que nos faz levantar todos os dias! E isso nao pode acontecer..
    Temos que nos relembrar diariamente de qual a nossa missao, quais os nossos sonhos, objectivos, desejos..e lutar por eles!!
    Um beijinho enorme*

    https://thathappymess.com/

  3. Acho que toda a gente tem fases assim. Umas mais longas que outras. Mas eventualmente, passa. Vais ver 🙂
    Adoro o look e, acima de tudo, adoro as fotografias!

  4. É perfeitamente compreensível! Eu também me identifico um pouco. A incerteza do futuro também me faz pensar e preocupar imenso. Mas enfim, temos que dar um passo de cada vez. Tenho a certeza que vai correr tudo bem <3 Estás lindíssima! Também uso imenso mochilas por serem tão práticas, e a tua é tão gira, adoro!
    Beijinhos querida

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *